sábado, 30 de setembro de 2017

Zoando Com os Créditos Iniciais de Deadpool

O título já diz tudo.
Uma brincadeira boba de edição que fiz há um tempão.
Tentei postar no Facebook, mas... o problema foi o mesmo se fosse no Youtube: direitos autorais da música.
O nome dela e o da banda foram creditados no fim do vídeo. Só adianto que é uma das que foram incluídas no filme Heavy Metal - Universo em Fantasia (1981) e também no 1º slideshow que montei pro evento 11º Mutação.
Apreciem... 

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Linkin Park

Banda americana de Agoura Hills (Califórnia), formou-se em 1996 com o nome de Xero. Mudou de nome pra Hybrid Theory, que chegou a ser o mesmo de seu 1º álbum. Mas adotaram de vez Linkin Park, como forma de homenagear o Lincoln Park de Santa Mônica (também na Califórnia).
Obtiveram muito sucesso com as músicas In the End, Crawling, Numb, Points of Authority, Faint, Breaking the Habit, Somewhere I Belong, Bleed It Out e What I've Done (da trilha de Transformers, 2007), entre outras.
Já fizeram parceria com diversos artistas, como o rapper Jay-Z na música Numb/Encore.
O canal Nostalgia já falou sobre o Linkin Park:

O vocalista Chester Bennington suicidou-se por enforcamento em Palos Verdes Estates (Califórnia), dia 20 de julho. Tinha um histórico de drogas, álcool e depressão.
Com sua morte, a banda cancelou sua turnê recente pelos Estados Unidos.

Integrantes: Mike Shinoda (vocal, guitarra rítmica, teclados e sintetizadores), Rob Bourdon (bateria e percussão), Brad Delson (guitarra e vocais de apoio, vulgo backing vocals), Dave "Phoenix" Farrell (baixo e vocais de apoio) e Joseph "Joe" Hahn (DJ, fonógrafo, sampler e programador)

Ex-integrantes: Chester Charles Bennington (falecido- vocal), Mark Wakefield (vocal) e Kyle Christner (baixo)

Discografia: Hybrid Theory (2000), Meteora (2003), Minutes to Midnight (2007), A Thousand Suns (2010), Living Things (2012), The Hunting Party (2014) e One More Light (2017)

Curiosidades: A capa do álbum de remixes Reanimation (2002) tem o desenho de um mecha (robô gigante).
O clipe da versão remix de Pts.OF.Athrty (Points of Authority), que mostra em computação gráfica uma batalha entre robôs e aliens, foi inspirado pelo filme Final Fantasy (2001). Passava no extinto Clipmania (Band), que nem o de In the End.
O clipe de Breaking the Habit foi animado pelo estúdio japonês Gonzo (Desert Punk, Gantz, Afro Samurai).
Aparecem estatuetas (ou garage kits) de mechas das séries Gundam no clipe de Somewhere I Belong.
Todos estes clipes foram dirigidos por Joe Hahn (vulgo Mr. Hahn) e também passaram na antiga MTV Brasil.
Mike Shinoda compôs com o arranjador/produtor/compositor Joseph Trapanese a trilha incidental (pro mercado americano) do filme Operação Invasão (The Raid: Redemption, 2011).
Chester Bennington participou de filmes como Adrenalina (2006), Adrenalina 2: Alta Voltagem (2009) e Jogos Mortais: O Final (2010).

Fontes: Wikipédia (Brasil e EUA) e Rollingstone.uol.com.br

terça-feira, 25 de julho de 2017

Mês Especial do Rock 37- RPM, Paul McCartney e Queens of The Stone Age

RPM é uma banda de São Paulo, criada na capital paulista em 1983. Inicialmente e com base numa lista de nomes de uma amiga, Paulo Ricardo e Luiz Schiavon escolheram 45 RPM (45 Rotações Por Minuto). Mas foi simplificado pra sigla sem o número, que passou a significar Revoluções Por Minuto.
Suas músicas que fizeram sucesso: Olhar 43, Louras Geladas, London London, Revoluções Por Minuto e Alvorada Voraz.
Entre os membros, esteve o baterista Charles Gavin, que foi do Ira! e depois foi pros Titãs.
Ficou na ativa até 1989. Reuniu-se de 1993 a 94, 2001 a 2003, 2008 e por fim, retornou em 2011.

Integrantes: Paulo Ricardo (vocal e baixo), Fernando Deluqui (vocal e guitarra), Luiz Schiavon (teclados) e Paulo P.A. Pagni (vocal e bateria)

Ex-integrantes: Charles Gavin (bateria), Marquinho Costa (bateria) e Franco Júnior (teclados)

Discografia: Revoluções por Minuto (1985), RPM, também conhecido por Quatro Coiotes (1988), Paulo Ricardo & RPM (1993) e Elektra (2011)

Fora do RPM, Paulo Ricardo lançou os discos: Paulo Ricardo (1989), Psico Trópico (1991), Rock Popular Brasileiro (1996), O Amor Me Escolheu (1997), La Cruz Y La Espada (1998), Amor de Verdade (1999), Paulo Ricardo (2000), Prisma (2006) e Novo Álbum (2016).
Participou como ator da novela Esperança (2003) e desde 2015 é jurado do programa Superstar.

James Paul McCartney é um inglês natural de Liverpool. Aos 11 anos (1954), conheceu George Harrison num ônibus a caminho da escola.
Em 1957, conheceu John Lennon quando fiz assistir a uma apresentação do The Quarrymen e tornaram-se amigos. Integrou o grupo, que viria a ser os Beatles em 1960 e que terminou em 1970.
Com a banda, fez os filmes A Hard Days Night (Os Reis do Iê-Iê-Iê, 1964), Help! (1965), Magical Mystery Tour (1967) e Yellow Submarine (1968).

Existiu um boato (que muitos acreditam) que Paul faleceu num acidente de carro em 1966 e foi substituído por um sósia, o que foi desmentido. Esse boato surgiu quando saiu o disco Abbey Road (1969), cuja capa mostra os Beatles andando numa faixa de segurança, com Paul descalço segurando um cigarro na mão direita (sendo que ele é canhoto).

Com o fim do grupo, Paul gravou 2 discos e em 1971, formou com Linda Eastman (com quem se casou em 1969) a banda Wings.
Também chamada de Paul McCartney and Wings, chegou a utilizar o pseudônimo Suzy and The Red Stripes quando lançou o single Seaside Woman, escrito e cantado por Linda.
Durante sua carreira, Wings lançou músicas como My Love, Live and Let Die (tema do filme 007- Viva e Deixe Morrer), Band On the Run (regravada pelo Foo Fighters, em 2007), Silly Love Songs, Jet, Mrs. Vandebilt, Let'Em In e With a Little Luck.
Terminou em 1981 e alguns dos membros reuniram-se em 1997.

Integrantes: Paul McCartney (vocal, guitarra, baixo e teclados), Linda Louise Eastman McCartney (falecida em 1998- vocal e teclados), Denny Laine (vocal, guitarra, baixo e piano), Denny Seiwell (bateria e percussão), Henry McCullough (vocal e guitarra), Jimmy McCulloch (vocal, guitarra e baixo), Laurence Juber (vocal e guitarra), Geoff Britton (bateria e percussão), Joe English (vocal, bateria e percussão)  Steve Holley (vocal, bateria e percussão)

Discografia do Wings: Wild Life (1971), Red Rose Speedway (1973), Band On the Run (1973), Venus and Mars (1975), Wings At the Speed of Sound (1976), London Town (1978) e Back to The Egg (1979)

Paralelo ao Wings, Paul tinha iniciado sua carreira solo e também gravou um monte de músicas até hoje, como... Another Day (que incluíram num episódio dos Simpsons e na trilha do filme Como Se Fosse a Primeira Vez, de 2004), Coming Up, Uncle Albert/Admiral Halsey, Ebony and Ivory (com Stevie Wonder), Say Say Say (com Michael Jackson), The Girl is Mine (também com Michael Jackson), Check My Machine, Take It Away, No More Lonely Nights, My Brave Face (que escutei na coletânea Mega Hits 3), This One,  Eight of Figure (que ouvi em Mega Hits 4), Hope of Deliverance, Freedom, Dance Tonight, Heal the Pain (com George Michael), Ever Present Past, New e Queenie Eye.
É vegetariano desde 1975, participou de um episódio dos Simpsons (1995) um de BoJack Horseman (2015) e do filme Piratas do Caribe- A Vingança de Salazar (2017).

Discografia solo: McCartney (1970), Ram (1971), McCartney II (1980), Tug of War (1982), Pipes of Piece (1983), Give My Regards to Broad Street (1984) Press to Play (1986), CHOBA B CCCP (1988), Flowers in The Dirt (1989), Off the Ground (1993), Flaming Pie (1997), Run Devil Run (1999), Driving Rain (2001), Chaos and Creation in The Backyard (2005), Memory Almost Full (2007), Kisses on The Bottom (2012) e New (2013)

Banda americana de Palm Desert (Califórnia), Queens of The Stone Age surgiu em 1996 e também é notória pela sigla QotSA e antes era chamada de Gamma Ray.
Antes, o vocalista Josh Homme fez parte de outros grupos: Kyuss e Screaming Trees.
O nome foi inspirado pelo produtor musical Chris Goss (ainda na época do Kyuss). Era pra ser Kings of The Stone Age, mas Homme achava que soava "macho demais", declarando que o rock podia ser pesado pra garotos, mas também doce pra garotas.
Em seu repertório, destaco No One Knows, Go With the Flow e I Sat By the Ocean.
Segue na ativa.

Integrantes: Josh Homme (vocal, guitarra, piano e guitarra baixo), Troy Van Leeuwen (guitarra, teclados, guitarra havaiana, sintetizadores, percussão e backing vocals), Dean Fertita (teclados, guitarra, sintetizadores, percussão e backing vocals), Michael Shuman (guitarra baixo, sintetizadores e backing vocals) e Jon Theodore (bateria, percussão e samplers)

Ex-integrantes: Mark Lanegan (co-vocalista, teclados e backing vocals), Dave Catching (guitarra, teclados e guitarra havaiana), Brendon McNichol (guitarra, teclados e guitarra havaiana), Nick Oliveri (co-vocalista e backing vocals), Alain Johaness (baixo, backing vocals e guitarra), Dan Druff (baixo e backing vocals), Natasha Schneider (teclados e backing vocals), Alfredo Hernández (bateria e percussão), Gene Trautmann (bateria e percussão), Dave Grohl (bateria e percussão) e Joey Castillo (bateria e percussão)

Discografia: Queens of The Stone Age (1998), Rated R (2000), Songs For the Deaf (2002), Lullabies and Paralyze (2005), Era Vulgaris (2007), ...Like Clockwork (2013) e Villains (2017)

Fontes: Wikipédia (Brasil e EUA)

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Mês Especial do Rock 36- Level 42, A Flock of Seagulls e Genesis

Pra comemorar o Dia Internacional do Rock, hora de falar sobre grupos de estilos distintos, mas todos vindos da Europa.

Começando com Level 42 (acima), que é uma banda britânica da Ilha de Whight, formada em 1980. Um ano antes, alguns dos membros fundadores tinham criado o projeto M.
O nome tem a ver com o livro O Guia do Mochileiro das Galáxias (de Douglas Adams).

Fez sucesso com a música Something About You, que fez parte da trilha da novela Cambalacho (1986), além de ter sido tocado (não por inteiro, acho eu) na série O Grande Pai (1991)... além de Lessons in Love, Running in The Family, Leaving Me Now e It's Over. Lembro de já ter escutado várias delas na Antena 1.
Separou-se em 1994 e o vocalista Mark King chegou a criar um grupo com seu nome.
Voltou à ativa em 2001.

Integrantes: Martin King (vocal, baixo, backing vocals, guitarra, teclados e percussão), Mike Lindup (vocal, teclados, backing vocals e percussão), Nathan King (backing vocals e guitarra), Sean Freeman (saxofone e backing vocals) e Pete Ray Biggin (bateria)

Ex-integrantes: Phil Gould (bateria, backing vocals e teclados), Rowland "Boon" Gould (irmão de Phil- guitarra, saxofone e baixo), Gary Husband (bateria, backing vocals e teclados) e Alan Murphy (falecido em 1989- guitarra)

Discografia: Level 42 (1981), The Early Tapes (vulgo Strategy, 1982), The Pursuit of Accidents (1982), Standing in The Light (1983), True Colors (1984), World Machine (1985), Running in The Family (1987), Staring at The Sun (1988), Guaranteed (1991), Forever Now (1994), Retroglide (2006) e o EP Sirens (2013)

Outra banda inglesa, mas de Liverpool, A Flock of Seagulls surgiu também em 1980. Esta é da linha synthpop e new wave.
Seu nome foi tirado da canção Toiler On the Sea, do The Strangles.
Destacam-se em sua carreira I Ran (So Far Away), Wishing (If I Had a Photograph of You), The More You Live, The More I Love e Space Age Love Song.
Chegou a parar em 1986, retornando e prosseguindo em 1988.

Curiosamente e por acaso, soube que I Ran foi regravada por um grupo chamado Bowling for Soup em 2003 e utilizada como música-tema do Cavaleiros do Zodíaco, que nos Estados Unidos foi intitulado Zodiac Knights. E uma versão em alemão toca no filme X-Men: Apocalipse (2016).

Integrantes: Michael "Mike" Score (vocal, guitarra e teclados), Joe Rodriguez (guitarra), Kevin Rankin (bateria) e Pando (guitarra baixo)

Ex-integrantes: Michael Brahm (bateria), Francis Lee "Frank" Maudsley (guitarra baixo), Alister "Ali" Score (irmão de Michael Score- bateria), Willie Woo (guitarra), Mark Edmondson (bateria), Paul Reynolds (guitarra), Chris Chryssaphis (teclados), Gary Steadman (guitarra), Ed Berner (guitarra), Kaya Pryor (bateria e percussão), Mike Radcliffe (guitarra baixo), Mike Railton (teclados), Dave Maerz (guitarra), Jonte Wilkins (bateria), Mike Marquart (bateria), A.J. Mazzetti (bateria), Dean Pichette (guitarra baixo), Darryl Sons (bateria), Rob Wright (guitarra baixo) e Sean Pugh (teclados)

Discografia: A Flock of Seaguls (1982), Listen (1983), The Story of A Young Heart (1984), Dream Come True (1986) e The Light At The End of The World (1995)

De Godalming (Surrey), o Genesis formou-se em 1967 e por muito tempo, não sabia que era de rock progressivo. Ainda mais com mais de 3 integrantes e tendo Peter Gabriel como vocalista. Só tinha escutado sua fase mais pop rock.
Em 1975, Gabriel saiu e o (até então) baterista Phil Collins assumiu a posição.
10 anos depois, um dos integrantes (Mike Rutherford) criou seu grupo/projeto Mike and The Mechanics. Disso, também fiquei sem saber por anos, mas que pode ter um artigo separado.
Genesis veio a parar em 1998. Depois, reuniu-se em 2006 e seguiu até 2012.

Integrantes: Phil Collins (vocal, bateria, backing vocals, percussão, vibrafone, caixa de ritmos e bateria eletrônica), Tony Banks (backing vocals, teclados e guitarra) e Mike Rutherford (baixo, celo, citar elétrica, backing vocals, pedais de baixo e violão de doze cordas)

Ex-integrantes: Peter Gabriel (vocal, flauta, tamborim, oboé, bumbo, acordeão e performances teatrais no palco), Anthony Phillps (guitarra, violão de doze cordas, guitarra clássica, dulcimer e backing vocals), Chris Stewart (bateria e percussão), John Silver (bateria, backing vocals e percussão), John Mayhew (bateria, backing vocals e percussão), Mick Barnard (guitarra), Steve Hackett (guitarra, violão de doze cordas, guitarra clássica e auto-harpa) e Ray Wilson (vocal)

E vou falar das músicas.
Não foram incluídas nesta coletânea No Reply At All, a quilométrica Super's ReadyPaperlate.
 
Faixas: 1.Turn It On Again/ 2.Invisible Touch/ 3.Mama (Radio Edit)/ 4.Land of Confusion/ 5.I Can't Dance/ 6.Follow You Follow Me/ 7.Hold On My Heart/ 8.Abacab (UK Single Edit)/ 9.I Know What I Like (In Your Wardrobe)/ 10.No Son of Mine/ 11.Tonight, Tonight, Tonight (New Edit of Single Version)/ 12.In Too Deep/ 13.Congo/ 14.Jesus He Knows Me (Single Mix)/ 15.That's All/ 16.Misundertanding/ 17.Throwing All the Way/ 18.The Carper Crawlers 1999

Sobre as músicas: Faixas 1 e 16 vieram de Duke (1980). Faixas 2, 4, 11, 12 e 17 são de Invisible Touch (1986), sendo que a 2 também foi incluída na trilha internacional da novela Roda de Fogo (do mesmo ano), a 12 é da trilha do filme Mona Lisa (também do mesmo ano) e a 4 foi regravada (entre outros exemplos) pela banda de heavy metal Disturbed (em 2015). Faixas 3 e 15 são de Genesis (1983). Faixas 5, 7, 10 e 14 são de We Can't Dance (1991). Faixa 6 é de ...And Then There Were Three... (1978) e da trilha internacional da novela Dancin' Days (do mesmo ano). A faixa 8 é do álbum homônimo, de 1981. A faixa 9 é de Selling England By the Pound (1973). A faixa 13 é de ...Calling All Stations... (1987). A faixa 18 é a regravação de uma música de The Lamb Lies Down On Broadway (1974).

Gravadora(s): Virgin/Atlantic (1999)

Fontes: Wikipédia (Brasil e EUA)

terça-feira, 11 de julho de 2017

Mês Especial do Rock 35- Os Replicantes, Joe Jackson e Steve Miller Band

Os Replicantes é um grupo gaúcho de punk rock natural de Porto Alegre, criado em 1983. Como pode-se notar, seu nome é o mesmo dos androides do filme Blade Runner, do qual já falei sobre a trilha sonora aqui.
Sua 1ª apresentação profissional foi no Bar Ocidente e divulgaram seu trabalho na rádio (então novata) Ipanema FM
Lá por 1986, ganham fama nacional. Soube que já se apresentou, inclusive, em Alvorada-RS.
O vocalista Wander Wildner sai em 1989, indo tocar na banda Sangue Sujo no ano seguinte, com a qual gravou em fita demo Punk Rock Anfetamínico Que Matou a Modelo e a música Jesus Cristo Vai Voltar. Fez parte da banda Los Encarnados, gravando uma fita homônima em 1994 e depois partiu pra sua carreira solo.
Seu colega Carlos Gerbase (jornalista, cineasta, escritor, diretor de alguns clipes) assume seu posto no Replicantes.


Discografia de Wander: Baladas Sangrentas (1996), Buenos Dias! (1999), Eu Sou Feio... Mas Sou Bonito (2001), Paraquedas do Coração (2004), La Canción Inesperada (2008), Caminando y Cantando (2010), Mocochinchi Folksom (2013), Existe Alguém Aí? (2015), Wanclub: Músicas para Dançar- Volume 56 (2016) e A Vida é Uma Toalha Estendida no Varal (2016)

Wander só voltaria pro grupo em 2002, enquanto Carlos é quem saiu. Após a turnê que realizou na Europa (2007), ele saiu novamente e o posto de vocalista foi deixado pra Julia Barth.

Fora da banda, regravou a música Hippie, Punk, Rajneesh... além de lançar Eu Não Consigo Ser Alegre o Tempo Inteiro e Bebendo Vinho. Sem falar em Eu Acredito em Milagres, uma versão em português de I Believe in Miracles (do Ramones).
Em 2014, apresentou-se em Alvorada, no extinto Taberna. Infelizmente, não pude ir.

Integrantes: Julia Barth (vocal), Cláudio Heinz (guitarra), Heron Heinz (irmão de Cláudio- baixo) e Cléber Andrade (bateria)

Ex-integrantes: Wanderlei Luis "Wander" Wildner (vocal), Carlos Gerbase (vocal e bateria) e Luciana Tomasi (teclados e produção)

Pra ninguém dizer que não mencionei as canções e hits da banda, hora de falar sobre uma coletânea:
Faixas: 1.Boy do Subterrâneo/ 2.Surfista Calhorda/ 3.Hippie, Punk, Rajneesh/ 4.A Verdadeira Corrida Espacial/ 5.Choque/ 6.Ele Quer Punk/ 7.Motel da Esquina/ 8.Mulher Enrustida/ 9.Porque Não/ 10.Chernobil/ 11.Sandina/ 12.Sexo & Violência/ 13.Astronauta/ 14.Festa Punk/ 15.Nicotina/ 16.Tom & Jerry/ 17.Só Mais Uma Chance (Pin-Up)/ 18.Problemas/ 19.Frankenstein Bonito/ 20.Falsificação

Sobre as músicas: Faixas 1 a 9 são de O Futuro é Vortex (1986). Faixas 10 a 16 vieram de Histórias de Sexo & Violência (1987). Faixas 17 a 20 são de Papel de Mau (1989).

Gravadora(s): BMG Brasil (1999)

David Ian Jackson (vulgo Joe Jackson) é um cantor e compositor natural de Sttafordshire (Inglaterra) que começou sua carreira em 1970. Nos primeiros anos, estudou música e tocou em clubes.
A música que mais ouvi dele foi Steppin' Out, que conheci pela coletânea Video Hits e que também escutei pela Antena 1.
Ele compôs trilhas pra filmes como Mike's Murder (1983) e Tucker (1988).
Lá por 2010 conheci a música One More Time e este ano, I'm the Man.

Discografia: Look Sharp! (1979), I'm the Man (1979), Beat Crazy (1980), Joe Jackson' Jumpin' Jive (1981), Night and Day (1982), Body and Soul (1984), Big World (1986), Will Power (1987), Blaze of Glory (1989), Laughter & Lust (1991), Night Music (1994), Heaven & Hell (1997), Symphony No. 1 (1999), Night and Day II (2000), Volume 4 (2003), Rain (2008), The Duke (2012) e Fast Forward (2015)

The Steve Miller Band é uma banda americana de São Francisco (Califórnia), criada em 1966.
Um ano antes, o vocalista Steve Miller era parte do grupo Goldberg-Miller Blues Band e saiu pra formar o Steve Miller Blues Band. Só em 1967 é que adotou o nome definitivo.

A 1ª música que ouvi quando criança (um de seus hits) foi Abracadabra, naquela mesma coletânea que tem uma do 10cc, que também tocou na Antena 1 e que foi incluída na trilha do filme O Incrível Mágico Burt Wonderstone (2013).
Outras que descobri não sabendo que eram de sua autoria foram: Fly Like An Eagle, regravada por Seal pra trilha do filme Space Jam (1996)... e The Joker, regravada (entre outros) por Fatboy Slim (em 2005).
Segue até hoje.

Integrantes: Steve Miller (vocal, guitarra, harmônica, teclados e sintetizadores), Kenny Lee Lewis (guitarra, baixo e backing vocals), Gordy Knudtson (bateria), Joseph Wooten (vocal, teclados e sintetizadores) e Jacob Peterson (guitarra)

Ex-integrantes: Lonnie Turner (baixo, guitarra e backing vocals), Boz Scaggs (guitarra e vocal), Jim Peterman (teclados e backing vocals), Tim Davis (falecido em 1988- bateria e vocal), James "Curley" Cooke (falecido em 2011- guitarra), Ben Sidran (teclados), Nicky Hopkins (piano), Bobby Winkelman (baixo, guitarra e vocal), Ross Valory (baixo e backing vocals), Roger Alan Clark (bateria), Jack King (bateria), Dick Thompson (teclados), Gary Mallaber (bateria, percussão, teclados e backing vocals), Gerald Johnson (baixo e backing vocals), John King (falecido em 2010- bateria), Les Dudek (guitarra), Doug Clifford (bateria), Greg Douglas (slide guitar e backing vocals), David Denny (guitarra e backing vocals), Byron Allred (teclados e sintetizadores), John Massaro (guitarra e backing vocals), Norton Buffalo (falecido em 2009- harmônica, guitarra e backing vocals), Billy Peterson (baixo e backing vocals), Bob Mallach (saxofone), Paul Peterson (guitarra), Ricky Peterson (teclados e sintetizadores), Keith Allen (guitarra e backing vocals) e Sonny Charles (vocal)

Discografia: Children of The Future (1968), Sailor (1968), Brave New World (1969), Your Saving Grace (1969), Number 5 (1970), Rock Love (1971), Recall the Begining... Journey From Eden (1972), The Joker (1973), Fly Like An Eagle (1974), Book of Dreams (1977), Circle of Love (1981), Abracadabra (1982), Italian X Rays (1984), Living in The 20th Century (1986), Born 2 B Blue (1988), Wide River (1993), Bingo! (2010) e Let Your Hair Down (2011)

Fontes: Discogs.com., Sonoridadesmultiplas.blogspot.com.br, Cliquemusic.uol.com.br e Wikipédia (Brasil e EUA)

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Mês Especial do Rock 34- The Go-Go's, The Sweet e The The

Banda americana de Los Angeles (Califórnia) formada em 1978, The Go-Go's ficou notória por ser a 1ª só de mulheres a alcançar o topo das paradas da Bilboard.
Descobri pela coletânea Flipper Hits (1982), com a música Vacation. Outras que conheci bem mais tarde, form Our Lips Are Sealed e Head Over Heels.
Separou-se em 1985, voltou em 1990, depois em 1994 e de 1999 em diante.

Integrantes: Belinda Carlisle (vocal), Jane Wiedlin (guitarra e vocal), Charlotte Caffey (guitarra e teclados) e Gina Schock (bateria)

Ex-integrantes: Margot Olavarria (baixo), Elissa Bello (bateria), Kathy Valentine (baixo) e Paula Jean Brown (baixo)

Discografia: Beauty and The Beat (1981), Vacation (1982), Talk Show (1984) e God Bless The Go-Go's (2001)

A vocalista Belinda Carlisle investiu em sua carreira solo após a 1ª separação da banda. De suas músicas dessa fase, a que mais lembro é Heaven is A Place On Earth.

Discografia de Belinda: Belinda (1986), Heaven On Earth (1987), Runaway Horses (1989), Live Your Life Be Free (1991), Real (1993), A Woman and A Man (1996), Voila (2007) e Wilder Shores (2017)

Sweet (com ou sem o artigo "The") é uma banda inglesa de Londres que surgiu em 1968 e que também era chamada de Sweetshop.
Chegou a parar em 1981, só retornando em 1985. O curioso é que chegou a ter até umas 3 formações diferentes: uma liderada por Steve Priest (de 2008 em diante), uma por Andy Scott (de 1985 em diante) e uma por Brian Connoly (New Sweet, de 1984 a 1997).
A 1ª canção que escutei em rádio foi Love is Like Oxygen. Mas também conheci outras músicas que foram utilizadas em trilhas de filmes. Como no caso de The Ballroom Blitz, num dos trailers de Esquadrão Suicida (2016)... e Fox On the Run, num dos trailers de Guardiões da Galáxia- Vol. 2 (2017).

Integrantes: Steve Priest (vocal, baixo e backing vocals) e Andy Scott (vocal, teclados, backing vocals, guitarra e sintetizadores)

Ex-integrantes: Brian Connoly (falecido em 1997- vocal) e Mick Tucker (falecido em 2002- vocal, bateria, backing vocals e percussão)

Discografia: Funny How Sweet Co-Co Can Be (1971), Sweet Fanny Adams (1974), Desolation Boulevard (1974), Give Us a Wink (1976), Off the Record (1977), Level Headed (1978), Cut Above the Rest (1979), Waters Edge ou Sweet IV (nos Estados Unidos) (1980) e Identity Crisis (1982)

Conterrâneo e da mesma cidade de origem do SweetThe The formou-se em 1979.
Em seu repertório, constam as músicas This is The Day, Slow Emotion Replay e Dogs of Lust, sendo que vi o clipe desta última na extinta MTV Brasil.
Já teve colaborações nos vocais de Sinead O'Connor Marc Almond (do Soft Cell).
Ainda segue na ativa.

Integrante: Matt Johnson (vocal, guitarra, escaleta (melódica), baixo, teclados e engenharia)

Ex-integrantes: Keith Laws (sintetizador), Tom Johnston (guitarra baixo), Peter "Triash" Ashworth (bateria e percussão), Colin Lloyd Tucker (vocal e guitarra), Simon Fisher Turner (vocal e guitarra), David Palmer (bateria), Johnny Marr (guitarra e harmônica), James Eller (baixo), D. C. Collard (teclados)Jim Fitting (harmônica)Keith Joyner (guitarra), Jared Michael Nickerson (baixo), Eric Schermerhorn (guitarra), Brian MacLeod (bateria), Gail Ann "Hollywood" Dorsey (baixo), Spencer Campbell (baixo e backing vocals) e Earl Harvin (bateria)

Discografia: Soul Mining (1983), Infected (1986), Mind Bomb (1989), Dusk (1993), Hanky Pank (1995) e NakedSelf (2000)

Fontes: Wikipédia (Brasil e EUA)

domingo, 25 de junho de 2017

Chris e Kid

Venho pra falar sobre 2 artistas que se foram recentemente, numa mesma semana.
Sabem, sinto remorso quando crio postagens de quem não tinha ainda debatido e acabam gerando assunto após falecerem. Mas, vamos nós!

Pra iniciar, Christopher John Boyle (Chris Cornell) fez parte de 2 bandas (Jones Street Band e The Shemps) antes de fundar o Soundgarden, em 1984, na cidade de Seattle (Washington-EUA).
Lembro que as rádios FM brasileiras passavam Black Hole Sun (1995), que também tinha seu clipe exibido no extinto A Música da Guaíba e na MTV.
Chegou a terminar em 1997, chegando a reunir-se em 2010 e 2017.

Integrantes do Soundgarden: Kim Tahyil (guitarra), Ben Sheperd (baixo) e Matt Cameron (bateria) 

Ex-integrantes: Chris Cornell (vocal e guitarra rítmica), Hiro Yamamoto (baixo), Jason Everman (baixo) e Scott Sundquist (bateria)

Discografia: Ultraomega OK (1988), Louder Than Love (1989), Badmotorfinger (1991), Superunknown (1994), Down On the Upside (1996) e King Animal (2012) 


Em 1990, Chris formou o grupo/projeto Temple of The Dog (também de Seattle) a fim de homenagear seu amigo Andrew Wood (vocalista das bandas Malfunkshun e Mother Love Bone.), que tinha falecido no mesmo ano.
Entre os singles, destaca-se Hunger Strike, com quem fez dueto com Eddie Vedder (do Pearl Jam).
Terminou em 1992, com reuniões em 2003, 2009, 2011, 2014, 2015 e 2016.

Integrantes do Temple of The Dog: Chris Cornell (vocal, banjo, guitarra e harmônica), Mike McCready (guitarra e backing vocals), Stone Gossard (guitarra rítmica e backing vocals), Jeff Ament (baixo e backing vocals), Matt Cameron (bateria e backing vocals) e Eddie Vedder (co-vocalista, guitarra e backing vocals)

Discografia: Temple of The Dog (1991)


E a última banda a qual fez parte foi Audioslave (de Glendale, Califórnia-EUA), surgida em 2001 e formada com integrantes do Rage Against the Machine.
Entre suas músicas destacaram-se Like a Stone, Cochise e Be Yourself.
Chegou a parar as atividades em 2007 e reuniu-se 10 anos depois.

Integrantes do Audioslave: Chris Cornell (vocal e guitarra), Tom Morello (guitarra), Tim Commerford (guitarra baixo e backing vocals) e Brad Wilk (bateria e percussão)

Discografia do Audioslave: Audioslave (2002), Out of Exile (2005) e Revelations (2006)

Chris também teve carreira solo de 1998 a 2000 e de 2006 a 2017. Gravou You Know My Name, música-tema do filme 007- Cassino Royale (2006)... que também é de seu 2º álbum, assim como a regravação de Billie Jean (de Michael Jackson).

Sua discografia: Euphoria Morning (1999), Carry On (2007), Scream (2009), Songbook (2011) e Higher Truth (2015)

Ele faleceu dia 18 de maio, aos 52 anos. Enforcou-se após uma apresentação e a causa foi a ingestão de diversos remédios pra depressão.

Antônio Carlos Senefonte (o Kid Vinil) foi um dos apoiadores do movimento punk de São Paulo.
Antes (1977), montou sua 1ª banda chamada Verminose... que viria a ser Magazine só em 1980.
Seu nome artístico foi criado por ele e pelo produtor Pena Schmidt, quando trabalhava numa estação de rádio (1979), tendo como base Kid Jensen (locutor da BBC) e Kosmo Vinyl (manager do The Clash).

Seus hits incluem Tic-Tic Nervoso, Comeu (que fez parte da trilha da novela A Gata Comeu, de 1985) e Sou Boy.
Além de cantor e compositor, Kid também trabalhou como radialista, jornalista e apresentador de televisão. Era respeitado por seus conhecimentos musicais, muito antes das enciclopédias virtuais.
Após a sua do Magazine, fez parte das bandas Kid Vinil e Os Heróis do Brasil e Kid Vinil Xperience.
Lembro que ele foi apresentador do programa Som Pop, que ficou no ar de 1989 a 1993 na TV Cultura (pros gaúchos, via TVE). Eu gostava muito de assistir, por sempre exibir clipes.
Kid faleceu dia 19 de maio, com 62 anos. Ficou um mês internado após passar mal durante uma apresentação em Minas Gerais.
Foi revelado que ele teve um relacionamento discretíssimo, vivendo por 30 anos com o advogado Jaime Gaeta e que adotou um cachorro chamado Cosmos. Não teve filhos.

Fontes: Wikipédia (Brasil e EUA)