quinta-feira, 13 de julho de 2017

Mês Especial do Rock 36- Level 42, A Flock of Seagulls e Genesis

Pra comemorar o Dia Internacional do Rock, hora de falar sobre grupos de estilos distintos, mas todos vindos da Europa.

Começando com Level 42 (acima), que é uma banda britânica da Ilha de Whight, formada em 1980. Um ano antes, alguns dos membros fundadores tinham criado o projeto M.
O nome tem a ver com o livro O Guia do Mochileiro das Galáxias (de Douglas Adams).

Fez sucesso com a música Something About You, que fez parte da trilha da novela Cambalacho (1986), além de ter sido tocado (não por inteiro, acho eu) na série O Grande Pai (1991)... além de Lessons in Love, Running in The Family, Leaving Me Now e It's Over. Lembro de já ter escutado várias delas na Antena 1.
Separou-se em 1994 e o vocalista Mark King chegou a criar um grupo com seu nome.
Voltou à ativa em 2001.

Integrantes: Martin King (vocal, baixo, backing vocals, guitarra, teclados e percussão), Mike Lindup (vocal, teclados, backing vocals e percussão), Nathan King (backing vocals e guitarra), Sean Freeman (saxofone e backing vocals) e Pete Ray Biggin (bateria)

Ex-integrantes: Phil Gould (bateria, backing vocals e teclados), Rowland "Boon" Gould (irmão de Phil- guitarra, saxofone e baixo), Gary Husband (bateria, backing vocals e teclados) e Alan Murphy (falecido em 1989- guitarra)

Discografia: Level 42 (1981), The Early Tapes (vulgo Strategy, 1982), The Pursuit of Accidents (1982), Standing in The Light (1983), True Colors (1984), World Machine (1985), Running in The Family (1987), Staring at The Sun (1988), Guaranteed (1991), Forever Now (1994), Retroglide (2006) e o EP Sirens (2013)

Outra banda inglesa, mas de Liverpool, A Flock of Seagulls surgiu também em 1980. Esta é da linha synthpop e new wave.
Seu nome foi tirado da canção Toiler On the Sea, do The Strangles.
Destacam-se em sua carreira I Ran (So Far Away), Wishing (If I Had a Photograph of You), The More You Live, The More I Love e Space Age Love Song.
Chegou a parar em 1986, retornando e prosseguindo em 1988.

Curiosamente e por acaso, soube que I Ran foi regravada por um grupo chamado Bowling for Soup em 2003 e utilizada como música-tema do Cavaleiros do Zodíaco, que nos Estados Unidos foi intitulado Zodiac Knights. E uma versão em alemão toca no filme X-Men: Apocalipse (2016).

Integrantes: Michael "Mike" Score (vocal, guitarra e teclados), Joe Rodriguez (guitarra), Kevin Rankin (bateria) e Pando (guitarra baixo)

Ex-integrantes: Michael Brahm (bateria), Francis Lee "Frank" Maudsley (guitarra baixo), Alister "Ali" Score (irmão de Michael Score- bateria), Willie Woo (guitarra), Mark Edmondson (bateria), Paul Reynolds (guitarra), Chris Chryssaphis (teclados), Gary Steadman (guitarra), Ed Berner (guitarra), Kaya Pryor (bateria e percussão), Mike Radcliffe (guitarra baixo), Mike Railton (teclados), Dave Maerz (guitarra), Jonte Wilkins (bateria), Mike Marquart (bateria), A.J. Mazzetti (bateria), Dean Pichette (guitarra baixo), Darryl Sons (bateria), Rob Wright (guitarra baixo) e Sean Pugh (teclados)

Discografia: A Flock of Seaguls (1982), Listen (1983), The Story of A Young Heart (1984), Dream Come True (1986) e The Light At The End of The World (1995)

De Godalming (Surrey), o Genesis formou-se em 1967 e por muito tempo, não sabia que era de rock progressivo. Ainda mais com mais de 3 integrantes e tendo Peter Gabriel como vocalista. Só tinha escutado sua fase mais pop rock.
Em 1975, Gabriel saiu e o (até então) baterista Phil Collins assumiu a posição.
10 anos depois, um dos integrantes (Mike Rutherford) criou seu grupo/projeto Mike and The Mechanics. Disso, também fiquei sem saber por anos, mas que pode ter um artigo separado.
Genesis veio a parar em 1998. Depois, reuniu-se em 2006 e seguiu até 2012.

Integrantes: Phil Collins (vocal, bateria, backing vocals, percussão, vibrafone, caixa de ritmos e bateria eletrônica), Tony Banks (backing vocals, teclados e guitarra) e Mike Rutherford (baixo, celo, citar elétrica, backing vocals, pedais de baixo e violão de doze cordas)

Ex-integrantes: Peter Gabriel (vocal, flauta, tamborim, oboé, bumbo, acordeão e performances teatrais no palco), Anthony Phillps (guitarra, violão de doze cordas, guitarra clássica, dulcimer e backing vocals), Chris Stewart (bateria e percussão), John Silver (bateria, backing vocals e percussão), John Mayhew (bateria, backing vocals e percussão), Mick Barnard (guitarra), Steve Hackett (guitarra, violão de doze cordas, guitarra clássica e auto-harpa) e Ray Wilson (vocal)

E vou falar das músicas.
Não foram incluídas nesta coletânea No Reply At All, a quilométrica Super's ReadyPaperlate.
 
Faixas: 1.Turn It On Again/ 2.Invisible Touch/ 3.Mama (Radio Edit)/ 4.Land of Confusion/ 5.I Can't Dance/ 6.Follow You Follow Me/ 7.Hold On My Heart/ 8.Abacab (UK Single Edit)/ 9.I Know What I Like (In Your Wardrobe)/ 10.No Son of Mine/ 11.Tonight, Tonight, Tonight (New Edit of Single Version)/ 12.In Too Deep/ 13.Congo/ 14.Jesus He Knows Me (Single Mix)/ 15.That's All/ 16.Misundertanding/ 17.Throwing All the Way/ 18.The Carper Crawlers 1999

Sobre as músicas: Faixas 1 e 16 vieram de Duke (1980). Faixas 2, 4, 11, 12 e 17 são de Invisible Touch (1986), sendo que a 2 também foi incluída na trilha internacional da novela Roda de Fogo (do mesmo ano), a 12 é da trilha do filme Mona Lisa (também do mesmo ano) e a 4 foi regravada (entre outros exemplos) pela banda de heavy metal Disturbed (em 2015). Faixas 3 e 15 são de Genesis (1983). Faixas 5, 7, 10 e 14 são de We Can't Dance (1991). Faixa 6 é de ...And Then There Were Three... (1978) e da trilha internacional da novela Dancin' Days (do mesmo ano). A faixa 8 é do álbum homônimo, de 1981. A faixa 9 é de Selling England By the Pound (1973). A faixa 13 é de ...Calling All Stations... (1987). A faixa 18 é a regravação de uma música de The Lamb Lies Down On Broadway (1974).

Gravadora(s): Virgin/Atlantic (1999)

Fontes: Wikipédia (Brasil e EUA)

Um comentário:

  1. Level 42 é muito legal! E eu curto pacas o Gênesis, mas confesso que o pouco que ouvi da fase Peter Gabriel não me pegou na veia, mal recordo das canções, mas o período que o Phil Collins assume os vocais é de fuder!

    ResponderExcluir