domingo, 25 de junho de 2017

Chris e Kid

Venho pra falar sobre 2 artistas que se foram recentemente, numa mesma semana.
Sabem, sinto remorso quando crio postagens de quem não tinha ainda debatido e acabam gerando assunto após falecerem. Mas, vamos nós!

Pra iniciar, Christopher John Boyle (Chris Cornell) fez parte de 2 bandas (Jones Street Band e The Shemps) antes de fundar o Soundgarden, em 1984, na cidade de Seattle (Washington-EUA).
Lembro que as rádios FM brasileiras passavam Black Hole Sun (1995), que também tinha seu clipe exibido no extinto A Música da Guaíba e na MTV.
Chegou a terminar em 1997, chegando a reunir-se em 2010 e 2017.

Integrantes do Soundgarden: Kim Tahyil (guitarra), Ben Sheperd (baixo) e Matt Cameron (bateria) 

Ex-integrantes: Chris Cornell (vocal e guitarra rítmica), Hiro Yamamoto (baixo), Jason Everman (baixo) e Scott Sundquist (bateria)

Discografia: Ultraomega OK (1988), Louder Than Love (1989), Badmotorfinger (1991), Superunknown (1994), Down On the Upside (1996) e King Animal (2012) 


Em 1990, Chris formou o grupo/projeto Temple of The Dog (também de Seattle) a fim de homenagear seu amigo Andrew Wood (vocalista das bandas Malfunkshun e Mother Love Bone.), que tinha falecido no mesmo ano.
Entre os singles, destaca-se Hunger Strike, com quem fez dueto com Eddie Vedder (do Pearl Jam).
Terminou em 1992, com reuniões em 2003, 2009, 2011, 2014, 2015 e 2016.

Integrantes do Temple of The Dog: Chris Cornell (vocal, banjo, guitarra e harmônica), Mike McCready (guitarra e backing vocals), Stone Gossard (guitarra rítmica e backing vocals), Jeff Ament (baixo e backing vocals), Matt Cameron (bateria e backing vocals) e Eddie Vedder (co-vocalista, guitarra e backing vocals)

Discografia: Temple of The Dog (1991)


E a última banda a qual fez parte foi Audioslave (de Glendale, Califórnia-EUA), surgida em 2001 e formada com integrantes do Rage Against the Machine.
Entre suas músicas destacaram-se Like a Stone, Cochise e Be Yourself.
Chegou a parar as atividades em 2007 e reuniu-se 10 anos depois.

Integrantes do Audioslave: Chris Cornell (vocal e guitarra), Tom Morello (guitarra), Tim Commerford (guitarra baixo e backing vocals) e Brad Wilk (bateria e percussão)

Discografia do Audioslave: Audioslave (2002), Out of Exile (2005) e Revelations (2006)

Chris também teve carreira solo de 1998 a 2000 e de 2006 a 2017. Gravou You Know My Name, música-tema do filme 007- Cassino Royale (2006)... que também é de seu 2º álbum, assim como a regravação de Billie Jean (de Michael Jackson).

Sua discografia: Euphoria Morning (1999), Carry On (2007), Scream (2009), Songbook (2011) e Higher Truth (2015)

Ele faleceu dia 18 de maio, aos 52 anos. Enforcou-se após uma apresentação e a causa foi a ingestão de diversos remédios pra depressão.

Antônio Carlos Senefonte (o Kid Vinil) foi um dos apoiadores do movimento punk de São Paulo.
Antes (1977), montou sua 1ª banda chamada Verminose... que viria a ser Magazine só em 1980.
Seu nome artístico foi criado por ele e pelo produtor Pena Schmidt, quando trabalhava numa estação de rádio (1979), tendo como base Kid Jensen (locutor da BBC) e Kosmo Vinyl (manager do The Clash).

Seus hits incluem Tic-Tic Nervoso, Comeu (que fez parte da trilha da novela A Gata Comeu, de 1985) e Sou Boy.
Além de cantor e compositor, Kid também trabalhou como radialista, jornalista e apresentador de televisão. Era respeitado por seus conhecimentos musicais, muito antes das enciclopédias virtuais.
Após a sua do Magazine, fez parte das bandas Kid Vinil e Os Heróis do Brasil e Kid Vinil Xperience.
Lembro que ele foi apresentador do programa Som Pop, que ficou no ar de 1989 a 1993 na TV Cultura (pros gaúchos, via TVE). Eu gostava muito de assistir, por sempre exibir clipes.
Kid faleceu dia 19 de maio, com 62 anos. Ficou um mês internado após passar mal durante uma apresentação em Minas Gerais.
Foi revelado que ele teve um relacionamento discretíssimo, vivendo por 30 anos com o advogado Jaime Gaeta e que adotou um cachorro chamado Cosmos. Não teve filhos.

Fontes: Wikipédia (Brasil e EUA)

Um comentário:

  1. Fora alguns hits fartamente executados em rádios e na MTV o som dos anos 90 não me pegaram, mas o tema do Cassino Royale eu acho do caralho!

    Já o Kid Vinil eu achava super simpático, embora também não fosse um grande fã da música dele; eram bem humoradas e me lembram um período legal da minha vida nos anos 80.

    ResponderExcluir